Informação sobre a ocupação israelita, a resistência palestiniana e a solidariedade internacional *** email: comitepalestina@bdsportugal.org
07
Jan 08
publicado por samizdat, às 15:27link do post | comentar

Ronnie Kasrils, judeu sul-africano, militante anti-apartheid, hoje ministro, relatando ao jornalista israelita Gideon Levy  as impressões da sua visita à Palestina: “A ocupação recorda-me os piores dias do apartheid, mas nós nunca vimos tanques e aviões a dispararem contra a população civil. É uma monstuosidade como não vi nunca. O muro que vocês construíram, os checkpoints e as estradas só para judeus – isto dá-nos volta ao estômago”. E prossegue, recordando a história da cooperação entre Israel e a África do Sul racista, ao nível da marinha de guerra, das armas nucleares e num outro episódio altamente simbólico: “O primeiro-ministro Johannes Vorster, que tinha assumidamente um passado nazi, foi recebido por vós com boas-vindas dignas dum herói”.

 www.haaretz.com, 25.05.07 

publicado por samizdat, às 15:27link do post | comentar

Uri Avneri: “Todos os regimes coloniais na história disseram o mesmo. Nenhum governante estrangeiro, quando confrontado com um levantamento do povo oprimido, alguma vez reconheceu o inimigo como combatente legítimo”.

 

http://www.counterpunch.org/avnery04162007.html, 07.01.08 

publicado por samizdat, às 15:26link do post | comentar

Segundo as organizações de direitos humanos israelitas B’Tselem e ACRI (Associação para os Direitos Civis”), o centro da cidade palestiniana de Hebron foi reduzido a uma cidade-fantasma. Na verdade, quase metade (42%) das habitações palestinianas no centro da cidade e mais de metade das lojas palestinianas (62%) foram abandonadas nos últimos anos, a grande maioria desde o início da Intifada de Al Acqsa. A população tem vindo a ser afugentada pela permanente violência exercida por uma minoria de colonos, que retira toda a sua força do apoio prestado pelo exército. Segundo as duas organizações, os colonos agridem os palestinianos, espancam-nos com bastões, apedrejam-nos, envenenam-lhes os poços. O exército, por seu lado, impõe aos palestinianos sucessivos recolheres obrigatórios: nos primeiros três anos da Intifada, houve 377 de recolher obrigatório.

 www.haaretz.com, 14.05.07 

publicado por samizdat, às 15:25link do post | comentar

Uma lei aprovada no Knesset, reserva a judeus a compra de terras do Estado que provenham do Fundo Nacional Judeu. Mesmo os cidadãos árabes israelitas ficaram impedidos de comprá-las. O partido israelita Meretz comentou: “O Knesset está a dar uma excelente desculpa a quem quer representar Israel como um Estado de apartheid que precisa de ser destruído”. O editorial do diário liberal “Haaretz” protestou também: “O Estado de Israel já foi estabelecido e estas terras devem agora servir a todos os seus cidadãos”

 www.haaretz.com, 19.07.07 e 20.07.07 

publicado por samizdat, às 15:24link do post | comentar

Dos 164 colonatos, assentamentos e áreas industriais da Margem Ocidental, 92 beneficiaram de autorizações para a sua expansão desde os acordos de Oslo, de 1993. Numa década, o número de colonos passou de 100.000 a 200.000. Oslo proibia a expansão dos colonatos.

www.haaretz.com, 06.07.07 

publicado por samizdat, às 15:23link do post | comentar

Segundo um relatório do movimento “Paz Agora”, “o Estado reserva grandes extensões para os colonatos, sem qualquer proporção com o seu tamanho, com o objectivo de impedir a construção palestiniana nessas áreas. E, quando uma área é fechada aos palestinianos, os colonos começam a ocupar terras palestinianas adjacentes, muitas vezes propriedades privadas, que estão fora da sua jurisidição”. Dos terrenos atribuídos aos colonatos, apenas 12% são utilizados.

 www.haaretz.com, 06.07.07


publicado por samizdat, às 15:22link do post | comentar

Menachem Livni é um colono judeu e um caso raro de réu condenado a prisão perpétua por ter assassinado a tiro, por puro terrorismo, um palestiniano que conduzia um camião. Depois de cumprir sete anos de pena, foi indultado. Em 2007 foi autorizado pelo Tribunal de Justiça israelita a andar armado novamente, com uma espingarda M-16. Um juiz do Supremo Tribunal de Justiça manifestou o seu desconforto, mas nada mudou.

 

www.haaretz.com, 06.08.07

publicado por samizdat, às 15:20link do post | comentar

Bradley Burston: “E se houvesse uma nação que negasse o Holocausto tão eficazmente que (...) centenas de milhares de sobreviventes idosos lá vivessem como cidadãos de pleno direito, e no entanto um em cada três desses sobreviventes vivesse na pobreza, sem poder comprar comida aceitável, sem abrigo, aquecimento ou cuidados médicos? E se essa nação negasse o Holocausto a tal ponto que alguns sobreviventes desesperados de origem alemã apenas conseguissem receber cuidados de saúde voltando para viver na Alemanha? As organizações judaicas de todo o mundo denunciariam o governo dessa nação como obscenamente insensível, como um insulto à memória de seis milhões que pereceram no genocídio nazi. A não ser que os criminosos fôssemos nós”.

 

www.haaretz.com, 16.04.07 

publicado por samizdat, às 15:18link do post | comentar

O Estado de Israel apresenta geralmente o sofrimento dos judeus sob o nazismo como uma justificação para as suas acções contra os palestinianos. Mas, quando se trata de entregar aos judeus sobreviventes do Holocausto o que lhes pertence por direito, o seu empenhamento cai drasticamente. A “Conferência de Reivinidcações Materiais Judaicas Contra a Alemanha” entrega anualmente 50 milhões de dólares a organizações israelitas. Menos de metade desse dinheiro é directamente utilizado no apoio a sobreviventes. A outra metade, ou mais, é aplicada na construção de edifícios, e especialmente na ampliação de hospitais - obras que competiria ao Estado realizar. Existem hoje em Israel 170.000 sobreviventes que não recebem qualquer ajuda daquele organismo, dos quais 60.000 em situação difícil.

 www.haaretz.com, 13.07.07

mais sobre mim
Janeiro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
12

13
15
17
19

20
25
26

27
28


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO