Informação sobre a ocupação israelita, a resistência palestiniana e a solidariedade internacional *** email: comitepalestina@bdsportugal.org
10
Nov 16
publicado por samizdat, às 20:57link do post | comentar | ver comentários (1)


 
Activistas contra o regime israelita de ocupação e apartheid lançaram um apelo ao chef de cozinha português José Avillez, dono do restaurante Belcanto em Lisboa, para que este cancelasse a sua participação no evento de culinária em Telavive intitulado Round Tables.

Este apelo insere-se num protesto internacional que juntou mais de 140 organizações de direitos humanos contra a participação no evento de restaurantes gourmet, entre os quais L'Ami Jean em Paris e o Musket Room em Nova Iorque.

Round Tables, a ocorrer este ano entre 6 e 26 de Novembro, é um evento integrante da campanha israelita “Brand Israel”, que tem por objectivo branquear a violenta opressão do povo palestiniano. Descrito pelos seus organizadores como uma ofensiva de “gastro-diplomacia”, ele trouxe chefs de 13 restaurantes internacionais para um cook-in em Telavive patrocinado pelo governo israelita.

Inventado pela American Express, o evento vem branquear entre outros a produção de vinho nos Montes Golã com refeições gourmet preparadas pelos chefs internacionais. Estes ficam hospedados nos Dan Hotels, entre os quais um construído em terra palestiniana roubada na Jerusalém oriental ocupada. A chamada “bolha liberal” de Telavive, onde os chefs estão a cozinhar as suas refeições requintadas, só é possível graças ao muro do apartheid construído por Israel, aos checkpoints e à guetização dos palestinianos, incluindo o cerco medieval de mais de dois milhões de palestinianos em Gaza, que mantém a brutalidade quotidiana da ocupação sem fim à vista.

Os activistas da campanha BDS - Boicote, Desinvestimento e Sanções - denunciam o evento como uma iniciativa que promove a negação dos direitos humanos dos palestinianos pela sua associação com os ministérios israelitas “que usam a cultura e as artes como um meio para desviar a atenção das suas graves violações dos direitos humanos e criar uma imagem positiva da ocupação”.

Os signatários apontam para o “uso da velha tradição de partilhar experiências culinárias como um meio de branquear a violação sistemática dos direitos fundamentais dos palestinianos” e apelam aos chefs para cancelarem a sua participação no evento.

A carta enviada pelas organizações portuguesas* ao chef Avillez apelando para que este “cancele a sua participação na Round Tables patrocinada por colonatos ilegais israelitas que violam os direitos humanos do povo palestiniano" ficou até hoje sem resposta.

Alguns gerentes dos outros restaurantes participantes alegaram não terem tido conhecimento do envolvimento do governo israelita na organização do evento e já ser tarde demais para cancelarem a sua participação. Alguns restaurantes asseguraram que não participarão em futuros Round Table Tours.
O Grupo Gustu da chef Kamilla Seidler retirou o seu restaurante boliviano do evento depois de ter sido contacto pela campanha.

* Os signatários são: Associação Abril, Colectivo Mumia Abu Jamal, Comité de Solidariedade com a Palestina, Conselho Português para a Paz e Cooperação, Grupo Acção Palestina, MPPM - Movimento pelos Direitos do Povo Palestino e pela Paz no Médio Oriente, Panteras Rosa - Frente de Combate à Lesbigaytransfobia, SOS Racismo.


mais sobre mim
Novembro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO