Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

SOLIDARIEDADE COM A PALESTINA

Informação sobre a ocupação israelita, a resistência palestiniana e a solidariedade internacional *** email: comitepalestina@bdsportugal.org

SOLIDARIEDADE COM A PALESTINA

Informação sobre a ocupação israelita, a resistência palestiniana e a solidariedade internacional *** email: comitepalestina@bdsportugal.org

Cronistas geminadas

Comité de Solidariedade com a Palestina

 

A pretexto de tudo valer nos artigos de opinião, o “Público” continua a dar guarida a uma sistemática desinformação sobre a ofensiva israelita contra Gaza. Nem a contradição gritante entre alguns dos seus fazedores de opinião e as excelentes reportagens que até aqui deu à estampa tem coibido o “Público” de entronizar Esther Mucznik, a “investigadora em assuntos judaicos”, e Helena Matos, a “jornalista”, como vozes autorizadas sobre o assunto.

 

Assim, foi silenciada nas páginas do jornal a rectificação sobre falsidades espalhadas por Helena Matos, que este comité enviou primeiro como carta ao director e depois como carta ao provedor do leitor.

 

Do mesmo modo, ficará certamente sem eco no “Público” a rectificação deste comité sobre as falsidades contidas no artigo de Esther Mucznik de 29 de Janeiro. Mas rectificamo-las, a começar por aquelas que se desmentem a si próprias: Mucznik afirma a dado passo que a ofensiva israelita serviu para “revelar ao mundo a gigantesca extensão dos túneis de contrabando de armas” (e aproveita para lamentar o fim da ocupação da Faixa em 2005). Logo a seguir, afirma contudo que o Hamas lucra todos os meses uns seis a oito milhões de euros em taxas pela utilização dos túneis. Ora, se os túneis se destinassem principalmente ao contrabando de armas, seria o Hamas o principal destinatário dessas armas e mal se compreenderia que lucrasse com taxas cobradas ... a si próprio.

 

A verdade está muito clara nos trabalhos de Alexandra Lucas Coelho, que mostram como os túneis são um meio de sobrevivência para a população civil de Gaza. Através deles se obtém tudo o que é indispensável à vida do dia-a-dia. É de admitir que as receitas cobradas pelo Hamas sejam elevadas, porque a população está disposta a pagar tudo o que pode por bens de primeiríssima necessidade. E a obsessão dos políticos e militares israelitas em cortarem essa veia jugular da vida na Faixa explica-se, não por quererem impedir um tráfico de armas residual, mas por quererem sufocar a população civil e obrigá-la a partir para sempre. A sanha israelita contra os túneis faz parte da estratégia de limpeza étnica e de genocídio.

 

Mas, se Mucznik se contradiz de linha para linha e de cada palavra para a seguinte, já a sua coordenação com Helena Matos é perfeita. Ambas escrevem na mesma edição do “Público” contra a resolução pela geminação entre a capital portuguesa e a capital da Faixa de Gaza, aprovada na Assembleia Municipal de Lisboa. Helena Matos limita-se a um gracejo de mau gosto sobre os túneis e sobre Sá Fernandes – um trocadilho mais próprio para jogos florais dalguma colectividade decadente do que para comentar a morte de centenas de pessoas.

 

Mucznik, pelo contrário, quer ser séria e dá um puxão de orelhas, não apenas aos partidos de esquerda, mas também ao PS, PSD e CDS por se terem abstido. Se fossem apenas os de esquerda, o problema talvez se resolvesse com facilidade, proibindo-os de concorrerem às eleições, como ainda há pouco tempo o parlamento israelita decidiu a propósito dos partidos árabes contrários ao massacre de Gaza. Mas levantar-se, de dedo em riste, contra TODOS os partidos da democracia portuguesa, já é talvez ter mais olhos que barriga. Ou irão esses partidos todos e mais o “Público” como jornal de referência obedecer à intimação contida no artigo de Mucznik?

 

O Comité de Solidariedade com a Palestina, que lançou a campanha pela geminação entre as duas cidades, congratula-se por não existir ainda em Portugal uma "democracia" como a israelita, baseada na limpeza étnica e no silenciamento das vozes discordantes.

 

3 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D