Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

SOLIDARIEDADE COM A PALESTINA

Informação sobre a ocupação israelita, a resistência palestiniana e a solidariedade internacional *** email: comitepalestina@bdsportugal.org

SOLIDARIEDADE COM A PALESTINA

Informação sobre a ocupação israelita, a resistência palestiniana e a solidariedade internacional *** email: comitepalestina@bdsportugal.org

Vozes israelitas contra a agressão ao Irão

Aluf Benn é um cronista insuspeito do diário israelita Haaretz, defensor quase incondicional do ataque israelita contra Gaza, mas, ao mesmo tempo, preocupado com a loucura que parece ter-se apoderado dos militares e políticos sionistas.

 

Na edição de hoje do Haaretz on-line em inglês, dois artigos seus reflectem esta preocupação. Num deles, comenta os resultados da "investigação" que o exército conduziu sobre as acusações que lhe eram dirigidas por ter cometido crimes de guerra durante a "Operação Chumbo Derretido".

 

Entre outras, podemos citar as frases seguintes deste atormentado e angustiado paladino da operação:

 

"As cinco investigações detalhadas do IDF [Israel Defense Forces] sobre a Operação Chumbo Derretido reflectem uma obstinada concentração das atenções sobre as árvores e uma recusa a discutir a floresta". (...)

 

"Terá a destruição de casas sido 'proporcional', como as investigações sugerem? É uma questão de interpretação. Alguns dos peritos legais que participaram na investigação pensam outra coisa, e dois oficiais de infantaria com posições-chave durante os combates comentaram: 'Limitámo-nos a arrasar povoações'". (...)

 

"Em Gaza a doutrina era 'risco zero' para as vidas dos soldados, mesmo quando isso significava atingir civis inimigos". (...)

 

Fonte: http://www.haaretz.com/hasen/spages/1080470.html

No outro artigo, Harel discute a campanha do governo da extrema-direita para amalgamar o risco de um Irão nuclear com o Holocausto nazi. Ele põe o dedo na ferida, ao citar a ideia do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu de que o problema não é tanto o de um Irão nuclear alguma vez se atrever a bombardear Tel-Aviv (hipótese mais do que remota), mas o de esse Irão se tornar um interlocutor negocial com uma relação de forças indesejada pelo sionismo, até agora habituado, e mal habituado, a impor-se em todas as negociações com a prepotência que lhe confere o monopólio da arma nuclear.

 

Comenta Harel: "Não há dúvida que tal situação seria desagradável, mas nem por isso constituiria uma catástrofe nacional ou um genocídio".

 

Depois, observa que "Netanyahu anda a avisar o mundo: 'Se vocês não actuam, vamos actuar nós'. E o mundo não fica nada excitado". A opinião pública israelita, voltada para o próprio umbigo, pelo contrário, fica excitadíssima e a histeria retórica de Netanyahu "está a bloquear qualquer caminho de recuo, dele e do país, para a confrontação militar".

 

Enfim, Arel sublinha o efeito desmoralizante que a comparação entre o Irão e a Alemanha nazi irá ter sobre as jovens gerações sionistas: "Se o programa nuclear do irão é o combóio para Auschwitz, então o que farão os israelitas e os judeus se falhar uma operação para travar esse programa e se o Irão conseguir a bomba? O que deverão pensar os jovens ao olharem para o futuro. Se a analogia com o Holocausto for aceite como óbvia, a resposta é clara: eles devem procurar refúgio noutro lugar. Muitos dos que se salvaram do Holocausto deixaram a Europa a tempo, antes da conquista nazi, especialmente em direcção aos EUA e a Israel. Se Israel está realmente confrontado com um Holocausto, então Netanyahu devia pedir a Barack Obama vistos de imigração para seis milhões de israelitas, e não apenas uma luz verde para atacar o Irão".

 

Palavras também para serem meditadas, entre nós, pelos e pelas ferrabrazes que em editoriais e crónicas do "Público" apelam todos os dias a uma guerra contra o Irão.

 

Fonte: http://www.haaretz.com/hasen/spages/1080460.html

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D