Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

SOLIDARIEDADE COM A PALESTINA

Informação sobre a ocupação israelita, a resistência palestiniana e a solidariedade internacional *** email: comitepalestina@bdsportugal.org

SOLIDARIEDADE COM A PALESTINA

Informação sobre a ocupação israelita, a resistência palestiniana e a solidariedade internacional *** email: comitepalestina@bdsportugal.org

«Os nazis estavam certos», segundo uma magistrada israelita

«Os nazis estavam certos», segundo uma magistrada israelita

Publicado por CAPJPO-EuroPalestine em 5.7.2010



 

A Sra Hadassa Ben-Itto, magistrada israelita na reforma, considera que, na frente da comunicação, Israel deveria inspirar-se nos métodos que serviram a difundir o (tristemente) célebre Protocolo dos Sábios de Sion.

É um jornalista do grande diário Yediot Aharonot, Modi Kreitman, que publica a notícia, sem temer aparentemente chocar os seus leitores, nem colocar no embaraço a sra. Ben-Itto.

Ver o artigo em inglês: http://www.ynetnews.com/Ext/Comp/ArticleLayout/CdaArticlePrintPreview/1,2506,L-3915394,00.html)

Londres - «Devemos inspirar-nos nas tácticas utilizadas pelos nazis», declarou recentemente a magistrada, numa conferência consagrada aos métodos para melhorar a imagem de Israel no mundo. A reunião, que teve lugar na semana passada em Londres, juntou uns 150 peritos jurídicos judeus.

Ben-Itto declarou que Israel devia inspirar-se no método utilizado pelos nazis quando estes começaram a divulgar o Protocolo dos Sábios de Sion, isto é: recusar qualquer discussão e continuar a defender as suas afirmações, inclusive perante os tribunais, mesmo se não tivessem nenhuma prova sobre esse famoso protocolo (NDLR: o «Protocolo dos Sábios de Sion» é um falso anónimo que conta os piores horrores sobre os judeus, acusados entre outras coisas de serem sedentos do sangue de crianças cristãs).

«Reflecti a esse respeito, reflecti sobre os nossos métodos de comunicação, e nada funciona porque a nossa causa é difícil de defender num mundo habituado a um único toque de sino», argumentou. «É a razão pela qual cheguei à conclusão de que devíamos empregar esse tipo de métodos em todo o lado, exactamente como os nazis utilizaram os tribunais para difundir a mensagem», concluiu.

(Traduzido do francês pelo CSP)

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D