Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

SOLIDARIEDADE COM A PALESTINA

Informação sobre a ocupação israelita, a resistência palestiniana e a solidariedade internacional *** email: comitepalestina@bdsportugal.org

SOLIDARIEDADE COM A PALESTINA

Informação sobre a ocupação israelita, a resistência palestiniana e a solidariedade internacional *** email: comitepalestina@bdsportugal.org

EM DEFESA DO MOVIMENTO BDS E DO DIREITO AO BOICOTE

Assistimos nos últimos dias a uma sucessão de notícias onde se dá conta da indignação e pedido de cancelamento - por parte da Comunidade Judaica do Porto (CJP) e, posteriormente, pela Comunidade Israelita de Lisboa (CIL) - dos concertos de Roger Waters agendados para os dias 17 e 18 deste mês (Março de 2023) no Altice Arena, em Lisboa. O motivo apresentado é um suposto antissemitismo veiculado pelo artista.

Embora encaremos de forma salutar a expressão e o debate público de opiniões, não podemos deixar de considerar que o mesmo se deve alicerçar na factualidade das premissas e na honestidade intelectual perante os interlocutores, algo que não verificamos na tentativa de associar o movimento BDS a movimentos antissemitas.

Neste sentido, o Comité de Solidariedade com a Palestina, enquanto apoiante do movimento internacional BDS (Boicote, Desinvestimento, Sanções), quer esclarecer o seguinte:


Sobre o BDS:

1. O movimento BDS, inspirado na luta sul-africana contra o apartheid, resulta do apelo lançado em 2005 por um extenso conjunto de organizações da sociedade civil palestiniana à comunidade internacional e a todas as pessoas de consciência, para que pressionem o Estado de Israel a agir em conformidade com o direito internacional e em respeito pelos direitos humanos.

2. Em suma, apelamos ao fim da cumplicidade de Estados, instituições, empresas e indivíduos com a violenta e sistemática opressão israelita ao povo palestiniano, através de boicotes, desinvestimentos e sanções (BDS). De resto, campanhas de boicote são um instrumento de protesto não-violento com legitimidade histórica e contemporânea reiteradamente comprovada. 

3. A linha de ação do movimento BDS é orientada, entre outros, pelo antirracismo, não consentindo que nenhum grupo afiliado propague ou tolere qualquer forma de expressão de ódio, intolerância ou discriminação, nas quais se inclui naturalmente o antissemitismo.

4. São três os objetivos do movimento BDS – (1) fim da ocupação, colonização e anexação ilegal (de jure ou de facto) dos territórios ocupados da Cisjordânia, Jerusalém Oriental, Gaza e dos Montes Golã; (2) igualdade integral de direitos para os cidadãos palestinianos de Israel; e (3) garantir os direitos dos refugiados palestinianos, nomeadamente o direito de retorno. Em conjunto, estes três objectivos levam à concretização do direito de autodeterminação do povo palestiniano, em concordância com as resoluções da ONU e a Carta Universal dos Direitos Humanos.


Sobre as acusações e suas intenções:

5. Desde a sua fundação, o crescimento sustentado do movimento BDS tem sido assinalável, ao ponto de ser designado como uma “ameaça estratégicapelo governo israelita, que desde então mobiliza recursos consideráveis para o combater e deslegitimar.

6. As acusações a Roger Waters, quando concretizadas, redundam invariavelmente no seu apoio ativo ao movimento BDS e na falaciosa qualificação deste último como movimento antissemita.

7. Tais acusações não são novas nem exclusivas a Roger Waters. Além deste, são já milhares, e em número crescente, os artistas de renome internacional, incluindo portugueses, que respeitaram o apelo da sociedade civil palestiniana e apoiaram as linhas de ação do movimento BDS: Ken Loach, Nicolas Jaar, Elvis Costello, Vanessa Paradis, entre muitos outros.


Sobre a instrumentalização do combate ao antissemitismo:

8. Serve isto para esclarecer que a campanha contra Roger Waters não é um caso isolado, mas antes revela uma crescente utilização abusiva por parte de Israel do termo “antissemitismo”, instrumentalizado como forma de intimidação e silenciamento. Procura-se confundir e equivaler, no debate público, o conceito de “antissemitismo” com o de “antissionismo”, ou seja, o discurso crítico e legítimo a uma ideologia colonial anacrónica e ao Estado que a materializa. O caráter colonial do sionismo é evidenciado pela sua expansão ininterrupta pelo território da Palestina, Líbano e Síria há já 74 anos, naquilo que constitui um crime contra a humanidade, tal como o confirmam os relatórios das duas maiores organizações de direitos humanos do mundo, Amnistia Internacional e Human Rights Watch.

9. O recurso a estes expedientes difamatórios tem ganho força legal nos EUA, na Alemanha e noutros países, através de leis que criminalizam o BDS e constituem um preocupante condicionamento à liberdade de expressão.

10. No que respeita à CJP e à sua atual liderança, esta estratégia é evidente, desde logo pela inclusão de um espaço exclusivamente dedicado ao BDS no Museu do Holocausto do Porto, de sua iniciativa e gestão, privilegiando a propaganda em detrimento da função pedagógica do referido museu.


A utilização grosseira, ligeira e ad nauseam de acusações espúrias de antissemitismo contra quem, legitimamente, critique as violações de direitos humanos e do direito internacional perpetradas pelo Estado de Israel é para nós preocupante, por banalizar um assunto cuja gravidade nos deveria impor alguma seriedade, e é especialmente criticável num momento em que o actual governo de extrema-direita fascista Israelita intensifica a sua perseguição racista ao povo palestiniano.





 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2010
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2009
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2008
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2007
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D